A stablecoin está a chegar

A SpectroCoin está a trazer a Stablecoin para a Plataforma

A SpectroCoin está sempre à procura de novas moedas com grande potencial de inserção no mercado. Após análise dos tópicos da moda nas comunidades cripto e nos rankings de capitalização de mercado, reparámos numa grande afluência de utilizadores de stablecoins, o que influenciou a decisão de adicionar uma nova moeda ao nosso sistema. Em meados de fevereiro de 2019, a moeda tether (USDT) será introduzida na plataforma SpectroCoin. Acreditamos que esta adição de USDT irá diversificar o nosso portefólio cripto e dar mais opções práticas de formas de pagamento aos nossos clientes.

O que é a Stablecoin??

As Stablecoins foram criadas com o propósito de encontrar um meio-termo entre moedas cripto e fiduciárias. Apesar de pensarmos em criptomoeda como forma de evitar dependência de instituições centrais e de executar transações transfronteiriças rápidas, ainda assim, muitos clientes continuam reticentes quanto às suas questões de volatilidade e escala.

A stablecoin é uma criptomoeda indexada a outros ativos. Na maioria dos casos, a moedas fiduciárias, mas, nos últimos anos, as stablecoins podem também estar ligadas a outras criptomoedas ou mercadorias de negociáveis na bolsa (metais preciosos como ouro ou prata).

As stablecoins são uma mudança de nível: elas trazem as moedas fiduciárias à blockchain.

As stablecoins garantidas pela moeda fiduciária são bastante acessíveis, têm rápida velocidade de transação e trazem estabilidade a este setor conhecido pela sua volatilidade, o que as torna apelativas. Acreditamos que as stablecoins podem tornar as criptomoedas ainda mais atrativas para o uso no dia-a-dia.

Porque é estável a stablecoin?

Se já está a inteirado do que é uma stablecoin, está na altura de descobrir como se mantém estável e como funciona.

Como as stablecoins estão indexadas a moedas tradicionais a um rácio de 1:1, estas não sofrem uma grande variação de preços, como se vê regularmente com a cripto. Por outras palavras, as instituições financeiras de depósito de dinheiro usadas para garantir a stablecoin asseguram que estas podem ser resgatadas a qualquer momento. Estas instituições confiam nos modelos de negócio cripto e assumem total responsabilidade pelos possíveis riscos.

Há quem diga que o modelo da stablecoin não é completamente descentralizado devido ao envolvimento de instituições financeiras. Ainda assim, as stablecoins atualmente em circulação são tão descentralizadas quanto qualquer outra criptomoeda. Emitidas na blockchain, têm assim todas as vantagens dos ativos cripto, como a transparência em tempo real e o anonimato, código de fonte aberta, baixos custos e garantia de acessibilidade a nível global.

O número de moeda fiduciária mantido nas reservas da Tether Limited deve ser sempre igual ou superior que o número de USDTs em circulação.

Recente na SpectroCoin: o que é a USDT?

Tether (USDT) é a criptomoeda que entra na categoria de stablecoin fiducio-colateralizada. O grande propósito da USDT é a construção da ponte entre as moedas tradicionais, como o dólar americano, euro ou iene japonês, e as criptomoedas.

A SpectroCoin está a trazer tethers indexados contra o dólar americano para oferecer aos nossos clientes a possibilidade de enviar USD através da blockchain Ethereum sem a volatilidade das oscilações. Cada tether é garantido a 100% pela moeda fiduciária, pelo que a paridade no preço entre tethers e USD mantém-se:

Vamos assumir que o Tom comprou 1000 USDT por $1000. Depois de algum tempo, o Tom decide investir o seu dinheiro num pequeno negócio, por isso escolhe retirar as suas moedas tether.

Como o valor da USDT está ligado ao USD num rácio de 1:1, o USDT do Tom mantém o mesmo valor de antes, $1000. Se ele decidir cambiar as suas moedas tether, ele receberá um valor ligeiramente menor que $1000, devido a taxas de transação.

Infográfico mostrando o processo de emissão e resgate de Tether

Atualmente, a tether com base na bitcoin está entre o top 10 das criptomoedas pelo mercado de capitalização, com um fornecimento total de 2,580,057,493 USDT e um volume diário bastante significativo de 3 a 4 biliões de USD. A recém-chegada USDT com base na Ethereum está rapidamente a ganhar território, atualmente com um fornecimento total de 60,057,493.363429 USDT.

Agora que aprendemos o que é a USDT, está na hora de falar sobre as blockchains que dão base a carteiras Tether.

Capacidade de múltiplas blockchains

Inicialmente, em 2014, as tethers foram lançadas na rede Bitcoin com o uso de Omni Layer, porém, as Tethers tornaram-se recentemente disponíveis na blockchain da Ethereum como tokens ERC20. Alavancar tethers em múltiplas plataformas blockchain permite aos utilizadores escolher a melhor opção de acordo com a sua carteira, fundos e preferências.

Tendo em conta que a moeda tether foi originalmente lançada com o protocolo Omni, a maioria da USDT em circulação gira na blockchain da Bitcoin. Contudo, a USDT com base na Ethereum está a ganhar tração entre utilizadores, resultante da velocidade dos seus tempos de confirmação quando comparada à Omni, e também devido ao facto de os contratos inteligentes ainda proporcionarem crescimento no mercado Ethereum.

Para evitar a dolorosa questão “Onde está o meu dinheiro?”, a SpectroCoin lembra-o que, antes de enviar ou depositar USDT, deve verificar cuidadosamente se o destinatário de Tether tem base na blockchain da Ethereum ou da Bitcoin. A SpectroCoin apenas suporta transações de USDT com base na Ethereum.

A carteira Tether da SpectroCoin apenas suporta transações de USDT com base na Ethereum.

Na perspetiva do mercado cripto, a diversidade de blockchains expande as oportunidades de a Tether ser utilizada como meio de troca – a moeda tether pode ser facilmente movida, negociada, convertida em USD ou cambiada para outras criptomoedas como as BTC, ETH, LTC, NEO e XRP.

Ainda não tem conta SpectroCoin? Seja membro da SpectroCoin, um fornecedor de soluções de criptomoeda a nível global, e crie a sua carteira tether para armazenar, comprar ou vender facilmente tether (USDT).